O Coronavírus pode impactar as construções civis?

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
O Coronavírus pode impactar as construções civis?
Avalie este post

Após alguns anos de instabilidade, o setor imobiliário projetava em 2020 um ano propício ao crescimento. No entanto, a pandemia do novo Coronavírus causou impactos significativos na maioria dos países e em várias áreas da economia. Assim, é natural questionar se o cenário poderá afetar as construções civis.

Conhecer a resposta para essa pergunta, inclusive, é essencial para selecionar as soluções para construtoras mais adequadas. Com atuação estratégica, fica mais fácil driblar algumas das maiores dificuldades.

A seguir, veja como o Coronavírus pode afetar as construções civis e entenda o que um ERP para construtora tem a ver com a questão.

Quais são os possíveis resultados da pandemia no setor?

Um dos impactos mais sensíveis da COVID-19 na construção civil tem a ver com o comércio internacional. Muitas matérias-primas são importadas da China, que foi o primeiro epicentro da pandemia. Por isso, é provável que ocorram dificuldades na negociação e na compra de materiais, especialmente porque o país ainda luta contra a doença e está em isolamento em algumas partes.

Por tocar nesse ponto, a quarentena afeta o fornecimento de outros produtos nacionais. Como os negócios do ramo não são considerados essenciais, vários deles devem permanecer fechados por alguns dias ou semanas, de acordo com cada governo.

Além de tudo, há a questão da renda e do crédito. Com suspensão de contratos de trabalho e mesmo demissões, há uma perda de confiança por parte do mercado. Muita gente deixa de ter o dinheiro necessário ou não se sente confortável para assumir um financiamento de longo prazo. Com isso, as construtoras e incorporadoras precisarão reduzir a oferta, o que também diminui a atividade no segmento.

Como a construção civil tem se adaptado à nova realidade?

Ao mesmo tempo, essa área da economia tem buscado outras formas de permanecer relevante e em atividade, dentro do possível. Muitas obras acontecem em ambiente aberto, o que favorece a aplicação de medidas de isolamento social. O cuidado específico com funcionários no grupo de risco, teoricamente, pode diminuir problemas em potencial.

Ao mesmo tempo, o setor deverá usar o caixa obtido em ações recentes, quando a recuperação ainda estava prevista para 2020. Com a interrupção dos lançamentos e a paralisação de atividades como stand de vendas, o segmento terá que se comunicar e alcançar o público de novas formas.

Qual é o papel de um sistema para construção civil nesse momento?

Ainda é cedo para precisar quais serão os impactos do Coronavírus na construção civil. No entanto, mais do que nunca, é necessário otimizar a atuação de empresas do ramo — e um ERP para construtora pode ajudar;

Um programa para construção civil automatiza tarefas, diminui os desperdícios e melhora o aproveitamento de recursos e de oportunidades. Dessa forma, as empresas do ramo se tornam mais enxutas e preparadas para encarar a situação.

Além disso, um programa para construção civil é uma das soluções para construtoras porque favorece a comunicação. Com o uso de dados digitais, times em home office conseguem se manter conectados, mesmo que à distância. Assim, um sistema para construção civil evita a obrigatoriedade de suspensão de todas as atividades.

O segmento de construção civil sofrerá impactos do Coronavírus e é preciso estar preparado para essa questão. Com o uso de soluções para construtoras, como um programa para construção civil, é possível driblar algumas das principais dificuldades.

Que tal conhecer a opinião dos seus contatos sobre o assunto? Compartilhe o post nas suas redes sociais e debata o tema!

 

Share.

About Author

Rodrigo Dionisios

Rodrigo é um jovem de 24 anos que trabalha exclusivamente comprando e revendendo produtos dos Estados Unidos no Brasil. Abandonou seu emprego de frentista para trabalhar exclusivamente com importação.Decidiu criar este blog para ajudar outras pessoas a trabalharem em suas casas, trabalhando com importação.

Leave A Reply